quarta-feira, 31 de março de 2010

não vou me reter as frases completas
ou construir mundos, imagens e sons
não deixarei a minha cor perder a sua essência
e nem mesmo deixarei a minha poesia vagar sem seus vazios

não estou para sintaxe,
nem mesmo que me venha,
branco ou amarelo
ou em bandeira um

não quero carona na ordem,
pois não serei mas uma linha

quero um poema-músico
... com cheiro
e sabor sinestésico
tal qual a última dose que roubei da quimera

deus sabe,

sempre desacato nas não sutilezas.
e hoje peguei minha jaqueta preta,
coturno,

para mostrar
como estou
PUNK... dessa mesmice

la fine della pastorizzazione

5 comentários:

Angélica Lins disse...

Bravíssimo!!!
Gostei muito.
Parabéns pelo blog.
Abraço!

marcos assis disse...

rá! muito bom!
PUNKada!

abraço!

marcos assis disse...

adorei seus textos, Marco!
voltarei mais!

nina martins disse...

o llobus do homem...

└─── яo ♥ disse...

Muito bom teu blog!
Vou te seguir!
Beijinho de luz!

*-*